top of page
  • Marcio Guerra

Excel Resource Planning na era IA Generativa

Por Marcio Guerra - 29 de fevereiro de 2024




IA GENERATIVA prometendo muito... E certamente tem esse potencial quando se fala de empresas maduras no aspecto governança de dados. Mas impulsiona e traz a tona necessidade estruturantes históricas.


No mundo ideal, muitas empresas investiram e investem enormemente em soluções de gestão de dados integradas, plataformas de dados e IA, análise avançada e sistemas de ERP de verdade, que realmente fornecem quando bem aplicadas e integradas com processos de negócios uma visão holística do negócio, com controles adequados, segurança de dados e, acima de tudo, confiabilidade para melhores resultados baseados em dados. 


A TI moderna ou não deve ter o olhar no cliente principal que são as áreas de negócios e em prol de processos orientados a dados integrados de de qualidade e servindo a estratégia da empresa. Não isolada em frentes "Chics"


Excel Resource Planning continua sendo um capítulo quase que humoristico e ao mesmo tempo assustador na história e não importa o quão avançada esteja a tecnologia, a nossa capacidade humana de encontrar atalhos e criar problemas é infinita. Será que a falta de sincronização e serviços ruins da área de TI empurram os departamentos de negócio para encontrarem suas soluções próprias de gestão e uso de dados? 


Eu nao tenho dúvida sobre isso! Acontece nas melhores famílias.

A qualidade de dados no ecossistema moderno de tecnologia é outra questão que apesar de fundamental, muitas vezes é tratada com menos seriedade, especialmente quando o "Excel Resource Planning" (ERP) está em cena de maneira muito relevante. ERP, não como Enterprise Resource Planning, a robusta solução de gestão empresarial, mas como uma analogia grotesca sobre o uso excessivo e muitas vezes inadequado do excel como ferramenta de gerenciamento em empresas de todos os tamanhos, pontos de entrada, processamento e saída de dados.


No mundo onde temos tecnologia de ponta disponível, desde computação em nuvem até análises de big data e inteligência artificial tradicional e generativa, ainda encontramos gigantes corporativos equilibrando seu império em pilhas de planilhas do Excel. Esses arquivos são passados de departamento para departamento como tesouros de conhecimento inestimável, quando se parecem mais parecidos com jogos de telefone sem fio, só que digitais onde a informação original é distorcida a cada transferência. Fora o risco de infringir aspectos de segurança e privacidade de dados.


Adoro excel, para controle de minhas despesas pessois, calcular orçamentos... Mas acho que para por aí...


Imaginemos um analista de dados iniciamndo seu dia baixando várias planilhas de diferentes departamentos e algumas dessas planilhas vem de sistemas on premises mais tradicionais enquanto outras são exportações de diferentes soluções em nuvem, cada uma com seu próprio formato único e customizado. Após algumas horas de trabalho manual para consolidar esses dados em uma super planilha, nosso herói envia sua criação por e-mail para toda a equipe, cruzando os dedos para que ninguém acabe alterando a versão errada ou, pior, compartilhando dados sensíveis com pessoas não autorizadas.


Essa situação destaca problemas reais com a gestão de dados em muitas empresas e o uso e dependência excessiva do Excel para funções críticas de negócios traz consigo um grande risco de erros, falta de controle de conteúdo e referência, e riscos significativos à privacidade de dados. Cada "Send" de uma planilha por e-mail podemos ter uma roleta russa de dados, onde a integridade e a segurança da informação podem estar em jogo.


Para fechar... as "macros" do Excel que são via de regra pequenos programas para automatizar tarefas repetitivas dentro dessas planilhas. Em teoria são uma mão na roda. Na prática, podem se tornar uma caixa de preta, especialmente quando criados por usuários que não são profissionais de TI, levando a potenciais brechas de segurança e ainda mais desconhecimento de regras, transformações e inconsistências de dados.


Os ativos de dados sejam fontes ou bases analiticas, operacionais ou processos de integração, devem estar associados a um processo de negócio e precisam de razão de ser e quando envolvem dados pessoais, precisam ter referencias de gestão da privacidade. Isso é lei inclusive! 


Então programas de gestão de dados e processos de negócios são essenciais e os esforços de padronização, catalogação, qualidade de dados e gestão do uso que culminam em programas de governança devem incorporar de forma continua as inciativas paralelas de gestão de dados com uso intensivo de por exemplo de Excel Resource Planning.

5 visualizações

Comments


bottom of page